Supostos defensores da população

By anacao - Last updated: Friday, January 23, 2015

O pavor do povo

A Cartilha partidária de supostas esquerdas, e nisso se inclui-se os tucanos, não deixa de ser uma coisa que amedronta brasileiros, os trabalhadores, os cidadãos.

Muitos defendem a baixa dos impostos. Mas muitos também são a favor das multas e taxas, o que dá no mesmo que manter impostos altos, já que podemos baixar impostos e na contra partida elevar drasticamente multas, como fizeram com as de trânsito para continuar arrecadando alto, e criar e elevar taxas diversas, como ipva, iptu, licenciamentos, certidões, autorizações etc. Cabe o alerta frequente para mantermos as autoridades servindo e não nos dando ordens. Fiquemos de olho nas táticas das autoridades e políticos, porque existem aqueles que passam dias fechados nos seus escritórios junto com lobistas para melhor decidir como explorar sem ser notado.

Precisamos uma luta total contra impostos, tributos, multas e taxas. Uma luta em todo Brasil contra usurpadores do suor alheio.

Segue um dos melhores artigos, daqueles que colocam as idéias em alinhamento. Realidade pura.

 

Por que a esquerda não luta por menos impostos?

Leandro Narloch, da Veja

Vejo poucos brasileiros de esquerda defendendo menos impostos no Brasil. Alguns até acham que a carga tributária é alta, mas dizem que é ainda maior nos países escandinavos nos quais deveríamos nos espelhar. Geralmente concordam com intelectuais que distorcem números e afirmam que o brasileiro, comparado a cidadãos de outros países, paga em média poucos impostos.

Para os mais radicais, a esquerda precisa lutar pelo fortalecimento do estado (o que envolveria mais impostos, principalmente dos mais ricos), enquanto a direita, a burguesia, os conservadores e as elites, que não ligam para as necessidades do povo, torcem por menos tributação.

O curioso é que muitos dos heróis e ídolos da esquerda são líderes e revolucionários que lutaram, eles próprios, por menos impostos.

É difícil, por exemplo, chamar de conservadores ou aliados às elites tradicionais os rebeldes que, durante a Revolução Francesa, destruíram alfândegas, queimaram documentos de dívidas fiscais e se recusaram a pagar impostos tanto à monarquia quanto aos governos republicados que a sucederam.

Deveriam os brasileiros de esquerda deixar de ler Karl Marx, que foi processado pela Alemanha por defender a sonegação de impostos? “A partir de hoje, impostos estão abolidos! É alta traição pagar impostos! Recusar pagar imposto é a primeira obrigação de um cidadão!”, escreveu Marx em 1848, depois de considerar ilegítimo o governo alemão.

Será que deveríamos chamar de burguês ou aliado às das elites o Mahatma Gandhi, que em 1930 percorreu 390 quilômetros a pé só para chegar ao litoral da Índia e desafiar o Império Britânico produzindo sal sem pagar imposto?

Ou o anarquista Henry David Thoreau, pai da Desobediência Civil e um dos inspiradores de Gandhi, preso por recusar a pagar qualquer tipo de taxa ao governo americano?

Há ainda os zulus da África do Sul, que no começo do século 20 travaram diversas guerras contra o imposto de 3 libras per capita imposto pelo Império Britânico. O Movimento Zapatista de Libertação Nacional, que depois de criar governos locais parou de pagar imposto ao governo central do México. E as sufragistas dos EUA que resgataram o lema da Revolução Americana (no taxation without representation) e se recusaram a pagar impostos enquanto não pudessem votar.

Dá pra chamar de representante da direita britânica o cantor George Harrison, dos Beatles, autor da música Taxman, um protesto contra as alíquotas do imposto de renda de até 95% para os ingleses mais ricos?

Mais difícil ainda é rotular como elitistas ou insensíveis às necessidades do povo os rebeldes da Revolução Farroupilha, movimento contrário ao imposto sobre o charque, o couro, o sal e a erva-mate pago pelos gaúchos à corte. Ou os pernambucanos que, no começo do século 19, tentaram se separar do Brasil por não verem retorno nos tributos que pagaram ao Rio de Janeiro. Muitos dos meus amigos de esquerda rejeitariam como um lugar-comum neoliberal e egoísta a frase “nenhuma pessoa pode ser privada da menor porção da sua propriedade sem seu consentimento”. Sem ligar para o fato de que essa frase era repetida com frequência por Frei Caneca, líder da Confederação do Equador e um dos grandes heróis pernambucanos.

O que motivou tanta gente a lutar contra impostos – e o que escapa da esquerda atual – é um desejo de autonomia, de defender o direito de serem donos do que produzem, e a certeza de que o dinheiro arrecadado pelos impostos raramente volta aos contribuintes ou é destinado aos mais pobres. Acaba bancando gastanças, sistemas ineficientes, privilégios dos amigos do rei e gordas aposentadorias de burocratas.

É uma pena que a esquerda traia sua própria tradição e defenda mais impostos no Brasil. A luta contra a apropriação do dinheiro dos cidadãos foi por muito tempo (e ainda deveria ser) uma bandeira de quem se importa com os mais pobres e oprimidos.

Filed in Nacional, Política • Tags: , ,

Presidente e doutrina nacional

By anacao - Last updated: Tuesday, January 20, 2015

-Dilma veta reajuste de 6,5% na tabela do imposto de renda
-Impostos aumentam: população paga a conta com gasolina até 9% mais cara
-Direitos previdenciários e trabalhistas tolhidos: autoridades e políticos continuam com todas as mamatas

As noticias acima não são de tucanos, contumazes devoradores do tributo alheio. São mesmo do PT, da presidente Dilma, supostamente aquela que jamais cortaria algo do povo. Mas aconteceu.

O PT se mantém no poder graças ao bom desempenho na estabilidade dos empregos, aos programas sociais e a capacidade de vender a bom preço os negócios brasileiros, como o petróleo e outras explorações que em outros tempos eram ‘doadas’ a espoliação internacional.

Enquanto esses três fatores forem mantidos, a média da aprovação desse governo ficará em torno de 60 a 70%.
O povo já rejeitou lesa pátrias por considerarem mais prejudiciais a nação que os corruptos. O corrupto certamente é algo lastimável, mas o lesa pátria é algo que danifica toda soberania nacional e até as contas do país, como no caso do nióbio, Vale, entre outras.

Aguardamos agora a presidente ser dura na questão de cortar gastos com autoridades e a gigantesca estrutura ‘funcional’ desse país.

Filed in Ecônomia, Nacional, Política • Tags: , , ,

Liberdades

By anacao - Last updated: Saturday, January 10, 2015

O PREÇO DA LIBERDADE É A ETERNA VIGILÂNCIA

Nós estaremos de olho para que os governantes, não usem falsamente a premissa de segurança para vigiar e punir.

Os abutres estão sempre a procura de oportunidades para oprimir e aumentar o controle sobre a população honesta.

Os Crimes, os Atentados, são as oportunidades que eles esperam para aumento da vigilância… e dos tributos.

Filed in Internacional, Política, Segurança • Tags: , ,

O que a Mídia brasileira quer realmente?

By anacao - Last updated: Wednesday, January 7, 2015

Desgoverno FHC, neoliberalismo, tucanos:

O caso do nióbio, a venda criminosa da Vale do Rio Doce, entre outros golpes trilhonários contra a população, entenda porque a mídia focaliza no PT enquanto os verdadeiros tubarões ficam de fora:

Vídeo revelador:
https://www.youtube.com/watch?v=qsBxPguNpOY

Filed in Internacional, Nacional, Política

Após Eleições, sobra para a classe trabalhadora

By anacao - Last updated: Tuesday, December 30, 2014

Ontem, 29 de dezembro, a presidente Dilma, por seu ministro Aloizio Mercadante, anunciou os ‘ajustes’ que são na realidade cortes profundos nos benefícios ao trabalhador.

Contrariando tudo que disseram na Eleição presidencial, acabaram de adotar meditas draconianas contra seu próprio povo, porém, exatamente como fazia o governo anterior do ex presidente Fernando Henrique, deixaram os altos escalões de fora dos ‘ajustes’. Todas as mordomias do andar de cima foram mantidas.

Vergonhoso.

Filed in Ecônomia, Leis, Nacional

Concentração nas grandes cidades

By anacao - Last updated: Friday, December 12, 2014

Caos nas cidades é consequência da concentração populacional.
Por melhor que seja a organização, uma hora chega o caos. O equilíbrio logo é rompido, por melhor que seja o início.

Vivemos um período onde trânsito, postos de saúde, creches, estão abarrotadas, congestionados. Pessoas vivem com menos de dois metros quadrados em muitos lugares, acotovelando-se. O aumento populacional, vista como consequência positiva da expansão econômica, deve ser agora controlado, ou teremos situações ainda piores.

Filed in Família, Nacional, Sociedade

Xenofobia: aspectos e razões ocultas

By anacao - Last updated: Monday, December 1, 2014

Xenofobia: aspectos e razões ocultas

Xenofobia, segundo a wikipedia significa:

(do grego ξένος, translit. xénos: “estranho”; e φόβος, translit. phóbos: “medo.”) é o medo, aversão ou a profunda antipatia em relação aos estrangeiros, a desconfiança em relação a pessoas estranhas ao meio daquele que as julga ou que vêm de fora do seu país. A xenofobia pode manifestar-se de várias formas, envolvendo as relações e percepções do endogrupo em relação ao exogrupo, incluindo o medo de perda de identidade, suspeição acerca de suas atividades, agressão e desejo de eliminar a sua presença para assegurar uma suposta pureza.

A xenofobia pode ter como alvo não apenas pessoas de outros países, mas de outras culturas, subculturas, sistemas de crenças ou características físicas. O medo do desconhecido pode ser mascarado no indivíduo como aversão ou ódio, gerando preconceitos. Note-se, porém, que nem todo preconceito é causado por xenofobia.
….

A palavra xenofobia é comumente associada a aversão a outras raças e culturas, e também associada à fobia em relação a pessoas ou grupos diferentes, com os quais o indivíduo que apresenta a fobia habitualmente não entra em contato ou evita fazê-lo.
…..

Atitudes xenofóbicas incluem desde o impedimento à imigração de estrangeiros ou de pessoas pertencentes a diferentes culturas e etnias, consideradas como ameaça, até a defesa do extermínio desses grupos. Por esta razão a xenofobia tende a ser normalmente associada a preconceitos étnicos ou ligados a nacionalidade. Estereótipos pejorativos de grupos minoritários (por exemplo: “asiáticos são sujos”, “muçulmanos são violentos”, “negros são menos inteligentes”, “europeus do norte são superiores aos europeus do sul”, “povos anglo-saxões são superiores aos povos latinos”, etc.) e conflitos de crenças podem levar um indivíduo ao ódio.

Importante que tenhamos em mente a noção corriqueira de xenofobia.

Agora analisaremos a questão oculta. Aquela que ninguém quer comentar. Mas existe.

Vamos usar nossa imaginação:

Pensaremos em um brasileiro comum, aquele que aceita leis passivamente, que aceita abusos do seu governo contra si mesmo e até mesmo defende o governo na maioria dos casos porque esta alienado por suas autoridades e imprensa servil. Esse, certamente, se for imigrar em um número excessivo para outro país, digamos, ‘liberalmente superior’, acabará por prejudicar a cultura desse país, que valoriza a liberdade e não aceita que o governo abuse contra ele. Realmente um país que trabalha há centenas de anos para formar uma sociedade forte, de liberdade e ordem, não aceita culturas que estraguem o que ele fez com tanto sacrifício e trabalho.

Caso haja um desequilíbrio na quantidade de pessoas, logo o estrangeiro tomará conta das decisões, seja por voto ou maioria decidindo e influindo. E aquela cultura secular e firme de educação e liberdade – liberdade de se defender, reclamar, exigir, portar armas, manifestar-se livremente, impor-se a autoridade – sofrerá danos. E a conjuntura social evoluída de exigências contra políticos e autoridades lesa pátria que não aceita também exploração e roubos das suas terras ou desalinho nos serviços públicos.

Sequer se cogita, nos países superiores, aceitar os roubos como as fraudulentas demarcações de terras indígenas que visam somente se apossar de pequenas propriedade rurais ou de grandes reservas de terras ricas, e que tudo será entregue a exploração banal, riquezas minerais para outros sem qualquer retorno, sem contar a sujeira das privatizações de setores estratégicos, por exemplo. A Vale, empresa vendida a preço de banana, paga em impostos em um ano o que em qualquer outro pais pagaria em um mês. Reservas ‘indígenas’ do norte do pais ricas em diamantes e pedras preciosas já estão na mão dos bandidos internacionais com o aval do governo federal.

Para entender esses ‘aspectos ocultos’ não precisa ser nenhum gênio. Basta ser um ser pensante. 1 milhão de burros continuará sendo 1 milhão de burros. A quantidade não vai mudar a natureza da coisa. Educação e cultura é tudo.

Esses dias, 5 motoqueiros piegas colocaram a manada do norte da cidade de São Paulo em povorosa. Pensemos que 2 milhões de pessoas, honestas, trabalhadoras, ficaram acuadas diante de 5 motociclistas dando ordem de fechar comércio, escolas porque um bandido morreu. Vergonhosa e covarde nossa situação.

Para uma cultura forte se aliam ao mesmo tempo a pouca desigualdade social, Liberdades Civis invioláveis, autodefesa, emprego como melhor política social, pagamento de salário justo, imprensa democrática e não monopolista, políticas publicas que valorizem o trabalho, diminuam burocracia, impostos e multas, e não a exploração ou o viver de lucros e do suor alheio.

Inclusive onde o governo também, não faça leis espoliadoras, como as famigeradas leis de transito com suas multas abusivas, onde transfere sua responsabilidade para o cidadão, que tem de trafegar em rodovias sem qualquer infraestrutura, mal feitas, mal sinalizadas, não duplicadas. E além disso, pagar impostos para manter esses remendos que chamam de rodovias e o salário dos arrecadadores, que aqui chamam de policiais ou fiscais, que são usados para alimentar a estrutura gigante de incompetência e mordomias do andar de cima. Propagandas e imprensa dócil ajudam a alimentar a culpa do povo,mesmo sabendo que 80% dos acidentes e mortes são culpa da infraestrutura deficiente.

Esse caso do trânsito é somente um exemplo. Fique claro que há dezenas de outros onde o cidadão é vítima e ainda paga a conta. Enraizou-se uma mentalidade de escravo no brasileiro. Essa mesma imprensa servil ou a propaganda enganosa oficial jamais faz menção a educar ou dar cultura para o povo. Ignorantes dão lucro e ainda pagam a conta. E os bandidos continuam a solta, já que esses dão dor de cabeça para capturar, julgar e manter na prisão, além de não pagarem impostos e nem multas.

O Brasil é refém de politiqueiros fazedores de leis para o cidadão honesto.

Tirania atualmente é caracterizada por esse excesso de leis. É a forma moderna do tirano. A cada década ele assume novas formas. O cidadão não pode aceitar isso. Um excesso de leis que servem unicamente para prende-lo como em teias de aranha. Deve exigir do governo que faça sua parte que depois fará a dele.

Uma cultura forte deve ser despertada no brasileiro. Não pode aceitar qualquer tipo de multa, leis, impostos ou tributos sem uma explicação longa, detalhada, discutida e a palavra final será do POVO. É vergonhoso que um político fique orgulhoso de exibir em sua propaganda que fez e essa ou tal lei, para mascarar ou mitigar um problema publico, sabendo que geralmente foi somente para o ‘pequeno’ enquanto o ‘grande’ continua na maior liberdade de ação. É o aspecto vil de um político inferior.

Pessoas inteligentes e políticos verdadeiros devem é abolir leis e lutar pela liberdade.

Pensemos. Meditemos e veremos que a xenofobia tem raízes inconscientes que servem de alerta ao povo que se deixa dominar ou são submissos a governos e suas leis espoliadoras.

Enfim para entender tudo: governo somos nós. E tudo que não queremos o governo e outras autoridades não estão autorizadas por nós a fazer. Vamos focar nos assuntos do dia a dia. Esqueçamos esses políticos golpistas que estão preocupados com assuntos distantes do nosso dia a dia, coisas que não nos interessam, pois que esses também fazem parte do jogo e farão no poder o mesmo que os atuais ou pior. Pedem ‘intervenção militar’… dizem ‘não para a mudança da lei de responsabilidade fiscal’ mas sequer conseguiram para nós um reajuste na tabela do impostos de renda… fiquemos longe desses políticos que são piores dos que estão agora.

Os melhores homens do nosso tempo, como Martin Luther King, Gandhi e Nelson Mandela, não eram santos nem caridosos, mas Lutadores. Submissão jamais.

Filed in Internacional, Leis, Política

População começa a revolta contra o abuso das autoridades de trânsito

By anacao - Last updated: Tuesday, November 25, 2014

Começou a revolta do povo contra o abuso das leis que as autoridades cometem contra a população.


No dia de ontem, 24 de novembro, um posto de fiscalização de trânsito foi incendiado por dois populares.
É a revolta da população que não admite mais que um governo que não cumpre suas obrigações básicas tenha moral para dar qualquer tipo de multa. Rodovias em péssimo estado, mal sinalizadas, mas o governo não deixa de colocar a mão no bolso do trabalhador.

O trabalhador, certamente, não vai deixar seu filho passar fome para pagar essas multas abusivas inventadas pelo governo.

Populares incendeiam posto de fiscalização de trânsito

Filed in Família, Sociedade • Tags: , , , , ,

DO SEU PRÓPRIO VENENO

By anacao - Last updated: Wednesday, November 5, 2014

Uma fiscal de trânsito essa semana perdeu um processo onde desrespeitou um juiz, dizendo que o mesmo ‘era juiz mas não era deus’.

Essa fiscal tem de pagar 5 mil reais para o juiz, por danos morais.
Alguns do povo, inocentes, começaram a fazer uma ‘vaquinha’ para ajudar a ‘fiscal de transito do RJ’ a pagar os 5 mil, pois que ela ganha somente “3,5 mil por mês” e não tem dinheiro para quitar a divida

Agora entra o mais importante:

Quando esses fiscais de transito dão uma multa de 2 mil no trabalhador que ganha uma miséria, alguém vai ajuda-lo? Existe alguma piedade para o trabalhador? Alguém ajudará o trabalhador a pagar sua multa?

É uma sábia decisão: fazer a ‘autoridade’ do ‘trânsito’ beber do seu próprio veneno.

Parabéns ao judiciário.

Filed in Leis

Justiça Social e Liberdade

By anacao - Last updated: Wednesday, October 29, 2014

Nosso objetivo, sempre claro, é equilibrar Justiça Social e Liberdade. O atual governo, Dilma/PT esta de parabéns em muitos aspectos. Como dizia Ronald Reagan:

“O melhor programa social é um emprego”

E isso o governo petista entendeu muito bem. Suas práticas são condizentes com suas teorias.

Porém, no quesito regulamentações e violações dos direitos civis, é um desastre. Veja a lei:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l12971.htm

A coisa não podia ser pior por falta de espaço. Aumentar multas em 900% é crime econômico contra o povo. Uma ignorância desse ministro da Justiça que, já em 2011, autorizou que se colocassem nas estradas federais mais de 2 mil radares fotográficos. Dilma, que assinou, nem dirige, somente com motorista particular, e o ministro da Justiça, que chancelou, também. Para eles, uma multa de 2 ou 4 mil também não fazem diferença. São essas pessoas que fazem esses tipos de lei: fora da realidade.

Usam do falso argumento de sua segurança. Será?

Só um ignorante sem acesso a informação ou tremendamente manipulado aceita que encham as estradas de radares que em nada diminuem os acidentes, mas enchem o bolso dos governos.

A missão do governo é cuidar da saude, educação, e, ao cuidar de segurança, tratar unicamente de defender o cidadão do bandido. Não é preciso que se intrometa nas questões de trânsito, principalmente com as famigeradas leis e multas abusivas. Ora, cultura e educação é tudo, o famoso doer no bolso é exatamente o que o governo quer que você acredite, pois que, um povo educado e culto, não dá lucro. Quem pune ensina uma vez, quem educa ensina para sempre.

Os governos desde 1995 vem paulatinamente sabotando as liberdades individuais, desde o desarmamento do cidadão honesto (os bandidos continuaram armados) o que acabou causando 500 mil mortes porque o povo honesto não conseguiu defender a si e sua família. A própria sociedade virou refém do crime. A policia não consegue estar em todos os lugares ao mesmo tempo, então como fazer? na campanha do desarmamento colocaram mães chorando pela morte dos filhos por acidentes de armas… mas agora, mais de 100 mil mães choram a morte de quem foi trucidado pela violência sem qualquer direito de defesa. Nisso erram tanto o psdb quanto o pt. São campanhas desastrosas e não baseadas em números, puramente emocionais, tais como são usadas para chancelar multas, radares e lombadas eletrônicas.

Tudo para aumentar o poder dos bandidos e das máfias.

Pois bem. Cabe ao brasileiro questionar lei por lei, e não se deixar dominar pela emoção, mas por estatísticas e números, e essas devem também ser questionadas e medidas. Uma analise profunda será suficiente para saber se é verdadeira. Comparar também é preciso, como o numero de mortes e incidentes criminosos desde que o desarmamento foi aprovado, um aumento de mais de 200%, pois que agora, o bandido tem plena liberdade de entrar em sua casa, roubar, estuprar, matar todos e sair dando risadas.

Todos os governos devem aplicar recursos nos programas sociais. E como dito, o melhor programa social é o emprego. Porém, não deve se intrometer nas questões das liberdades civis. Não deve fazer leis para lucrar em cima do povo e que causa dano a economia popular. Devemos ficar cientes que, ao primeiro sinal de violação da liberdade, devemos nos levantar e lutar.

Denuncie sempre. Não tenha medo de se fazer ouvir, de reclamar, de falar com seu politico, de enviar cartas e email para as autoridades denunciando tudo que ache que pode violar seus direitos.

Hoje, um cidadão, um trabalhador, que toma meia lata de cerveja, caso for pego na famigerada blitz da lei seca, será tratado como um bandido, multa de 2 mil reais, carro apreendido e ele preso. Agora te pergunto: um marginal, traficante ou ladrão tem esse tratamento ? não. Por isso cabe as autoridades, aquelas que executam a lei, também desobedecer essas leis abusivas e absurdas.

Políticos e autoridades: se não tem o que fazer, parem de fazer tantas leis para o trabalhador e para o cidadão honesto. Tratem de fazer leis para os bandidos, para os corruptos, enfim, vão caçar a bandidagem e deixem o povo em paz. Fazer leis virou moda e o político coloca em seus próprios sites: ‘fiz essa e essa lei’ com muito orgulho, não pensando como se torna um ignorante e desprestigiado diante de quem realmente sabe para quem são e quem será afetado por essas leis. São leis para taxar, controlar o povo. Exatamente o povo ordeiro que não precisa delas.

A missão do homem justo é garantir para si e para seus semelhantes a liberdade, liberdade de ação, pensamento, de se conduzir por sua própria conduta e convicções.

A missão do homem de sucesso é lutar para que a liberdade continue. Há tiranos a enfrentar, que são esses que fazem as dezenas de leis e usam o falso motivo de segurança para roubar e controlar, sempre causando instabilidade ao povo honesto, sendo que esse se pergunta ‘se vale a pena ser honesto’.


Ernesto Pilotto Neto
Jornalista

Filed in Leis, Nacional, Segurança